logotipo ence
 isi2017
 
 
 Vesamp

Diretrizes

Macroprocessos: Produção, análise e disseminação de informações estatísticas/ Coordenação e consolidação das informações estatísticas.

D01 Aprofundar, aperfeiçoar e padronizar linguagem e conhecimentos sobre os objetivos e usos da estatística.

D02 Fornecer às atividades de gerenciamento de coleta e atendimento ao usuário uma visão sistêmica das pesquisas produzidas pela Instituição, proporcionando, além de conhecimento técnico, um norteador para os servidores que atuam nessas atividades.

D03 Oferecer e proporcionar capacitação para a preparação do nível técnico no que se refere à produção, manipulação e análise das informações oriundas de bancos de dados institucionais.

Macroprocessos - Produção, análise e disseminação de informações geográficas e ambientais/ Coordenação e consolidação das informações cartográficas

D04 Proporcionar ações de capacitação que permitam aos técnicos ampliar a capacidade de aquisição e tratamento de dados geográficos e ambientais e de elaboração de produtos cartográficos.

D05 Proporcionar capacitação em Sistemas de Informação Geográfica (SIG) na sistematização de informações de recursos naturais e socioeconômicos.

D06 Proporcionar conhecimentos que ampliem o uso operacional de diferentes softwares de tratamento e interpretação digital de imagens, análise e mapeamento das informações geográficas, assim como em editoração e arte final de produtos e demais atividades de produção cartográfica.

D07 Preparar os técnicos para o uso do GPS e produção de mapas e apoiar o projeto de atualização contínua das bases cartográficas.

D08 Desenvolver ações de capacitação para atualização e desenvolvimento de aplicativos para editoração e gerenciamento de bancos de dados cartográficos e arquiteturas Internet associadas a SIG.

D09 Oferecer capacitação para atualização em temas específicos das geociências.

D10 Proporcionar capacitação em produção, manipulação e análise das informações oriundas de bancos de dados institucionais.

Objetivos transversais estratégicos

D11 Orientar ações de capacitação que visem introduzir conceitos e princípios chaves para gestão de qualidade no IBGE.

D12 Apoiar os processos de otimização das atividades administrativas, com base no comprometimento com a qualidade, para obtenção de melhor desempenho no desenvolvimento das atividades.

D13 Apoiar o processo de descentralização oferecendo capacitação às equipes estaduais que atuam nas atividades administrativas.

D14 Consolidar o processo de formação de uma cultura gerencial com ênfase na valorização e desenvolvimento dos servidores, no trabalho em equipe entre outros aspectos.

D15 Promover uma reflexão sobre o papel das pessoas nas relações interpessoais e profissionais e sua participação no desenvolvimento do trabalho.

D16 Aumentar a capacitação dos técnicos de informática, visando um melhor atendimento às necessidades dos usuários no que diz respeito ao processamento das pesquisas estatísticas ou projetos geocientíficos nos distintos ambientes computacionais.

D17 Padronizar o conhecimento adquirido no que se refere à utilização intensiva de tecnologias para o desenvolvimento de aplicações na WEB, utilização dos diversos gerenciadores de banco de dados e nas tecnologias para administração da rede do IBGE.

D18 Aprimorar a gestão do ambiente de rede (infra-estrutura, comunicação e segurança).

D19 Apoiar o projeto de ampliação das funções dos coordenadores de informática, que visa transforma-los em gestores da tecnologia da informação.

D20 Atender à necessidade de manutenção dos ambientes operacionais em uso no IBGE (OS/390, Unix, Windows NT), os quais visão garantir o armazenamento e recuperação controlada de dados em qualquer etapa da produção de uma pesquisa.

D21 Apoiar a implantação de políticas voltadas para a segurança de acesso a dados no ambiente do mainframe (armazenamento para grande volume de dados) e a proteção de dados institucionais nos sites do IBGE.

D22 Fortalecer a formação e atualização pedagógica dos instrutores internos.

D23 Orientar ações de capacitação que preparem instrutores para atuar na disseminação de conhecimentos e padronização de linguagens pertinentes a temas relacionados às diversas áreas da instituição.

D24 Oferecer e proporcionar capacitação para a preparação do nível técnico no que se refere à produção, manipulação e análise das informações oriundas de bancos de dados institucionais.

O que é PAT?

O Programa Anual de Treinamento (PAT) é o principal instrumento de planejamento e organização da área de treinamento, incluindo todos os cursos considerados estratégicos para a Instituição pelo CCT.

Os cursos de curta duração do PAT abrangem seis áreas de conhecimento: técnicos (com concentração em estatística, geociências e meio ambiente), de informática (automação de escritório; desenvolvimento, armazenamento e exploração de dados; edição e análise de dados espaciais; editoração e programação visual; planejamento e utilização dos recursos e serviços de informática; rede; sistemas operacionais), EAD, administrativos, gerenciais e idiomas.

Há no PAT um curso de média duração, também oferecido pela ENCE, mas através da Coordenação de Treinamento: o curso de desenvolvimento de habilidades em pesquisa - CDHP, que tem tratamento diferenciado dos demais cursos.

Como funciona o processo de implementação do PAT?

A partir da disponibilização do catálogo de cursos (PAT) para todas as áreas do IBGE, o departamento de treinamento realiza o processo de captação das demandas.

A cada ano o Comitê de Coordenação de Treinamento (CCT) define, a partir da captação de demandas, o Plano de Capacitação, que constitui, em sentido amplo, o conjunto de metas para toda a Instituição, representando, em sentido restrito, o plano anual de trabalho da Coordenação de Treinamento.

Após a consolidação das demandas, a Coordenação de Treinamento desenha um conjunto de cenários, com recursos alocados que irá subsidiar o CCT na definição das prioridades de treinamento anual. Os cursos são oferecidos, conforme a disponibilidade de recursos, a todos os servidores do IBGE. Parte significativa da demanda é atendida por instrutoria interna. Quando necessário, providencia-se a aquisição de cursos no mercado.

Após a definição do Plano de Capacitação, este é encaminhado para apreciação do Conselho Diretor. Isto significa que, além de aprovar o PAT como principal referência para o planejamento da oferta de cursos na Instituição, o Conselho Diretor referenda, igualmente, um instrumento com o qual expressa prioridades e metas desenhadas para o exercício em questão, para a sede e para as unidades estaduais.

A etapa de execução do processo de implementação do PAT é a concretização do que foi determinado na etapa de planejamento, pois na medida em que ocorre a definição do Plano de Capacitação, a Coordenação de Treinamento vai definindo o que já pode ser implementado. Importante ressaltar que a implementação de cada curso, demanda uma estratégia e uma ação diferenciada.

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro