logotipo ence

 

Seminario
PTEP
Seloge.
processo_seletivo.
SAS
Horario
Ence 60 anos
1/7 
start stop bwd fwd

 isi2017
 
 
 Vesamp

Defesa de Monografia de Georg de Oliveira Müller

Escola Nacional de Ciências Estatísticas

Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território

Apresentação de Monografia

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a apresentação da monografia final do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território intitulada: “Análise da efetividade protecionista do Parque Estadual da Costa do Sol – Região dos Lagos, Rio de Janeiro”.

Aluno: Georg de Oliveira Müller
Data: 8 de fevereiro de 2018 – quinta-feira
Horário: 15h00m
Local: Ence - Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo: O Centro de Diversidade Vegetal de Cabo Frio (CDVCF), na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro, é uma área com grande heterogeneidade no ambiente, apresentando condições climáticas, geomorfológicas, hidrológicas e biológicas distintas quando comparadas às de outras áreas litorâneas do restante do Estado. Estas características únicas se refletem em sua biodiversidade, apresentando alta riqueza de espécies vegetais e um grande número de endemismos.  Estes fatores o tornam uma área prioritária para a conservação, fato que levou ao estabelecimento de diversas Unidades de Conservação na região. O Parque Estadual da Costa do Sol (PECSol) é uma das mais importantes destas, sendo concebido de forma multissetorial devido à disposição dos remanescentes vegetacionais na paisagem, formado por 43 áreas distintas, agrupadas em quatro grandes núcleos: Sapiatiba, Massambaba, Atalaia-Dama Branca e Pau-Brasil, espalhadas pelos municípios de Saquarema, Araruama, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Armação dos Búzios e São Pedro da Aldeia. Diversos estudos em Ecologia de Paisagens, ciência que incorpora a vertente espacial às funções ecológicas, buscam identificar padrões na distribuição espacial de fragmentos vegetacionais, a fim de avaliar a capacidade destes em sustentar populações de determinadas espécies a longo prazo, baseando-se em métricas como tamanho das áreas de habitat natural, formato dos fragmentos, distância deles entre si e sua disposição na paisagem. Considerando a natureza fragmentada do PECSol, este trabalho teve como objetivo avaliar, através de métricas de paisagem, a efetividade do PECSol como elemento protetor da biodiversidade do CDVCF, considerando seus 43 fragmentos como eventuais remanescentes únicos de áreas naturais na região. Os resultados apontaram que os fragmentos do PECSol, de uma maneira geral, têm alto grau de suscetibilidade a efeitos de borda, i.e., perda de diversidade por exposição a fatores do ambiente. Estes fragmentos sofrem forte pressão de atividades antrópicas em sua imediata vizinhança, como pastagens, crescimento das áreas urbanas, extração de sal e atividades turísticas. A conectividade entre os fragmentos é baixa, estando muitas de suas populações confinadas a um único fragmento ou a um conjunto de poucos pequenos fragmentos, tendo o núcleo Massambaba apresentado os melhores índices de conectividade e disponibilidade de habitat. Com isso, constatou-se que o PECSol, sozinho, é um instrumento pouco efetivo na proteção da biodiversidade do CDVCF a longo prazo. A adição de outras áreas a seus limites, como as dunas do Peró e a Ilha de Cabo Frio, é recomendada. Também, a recuperação de áreas degradadas na paisagem e a criação de corredores ecológicos entre os fragmentos ajudariam a aumentar a disponibilidade de habitat na região. O planejamento e gestão do PECSol em conjunto com as outras Unidades de Conservação da região é desejável para um melhor controle sobre os impactos sofridos pelos remanescentes vegetacionais.

Banca examinadora:
Dra. Luciana Mara Temponi de Oliveira – Orientadora (IBGE/DGC/CREN)
Dra. Julia Celia Mercedes Strauch (IBGE/Ence/CPG)
Dr. Cyl Farney Catarino de Sá (JBRJ)

Gerência do Lato Sensu

 

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro