logotipo ence

 

processo_seletivo.
SAS
Seminario
Seloge.
Horario
PTEP
Ence 60 anos
1/7 
start stop bwd fwd

 isi2017
 
 
 Vesamp

Defesa de Monografia de Jacqueline Santos Xavier Marinho

 Escola Nacional de Ciências Estatísticas

Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território

Apresentação de Monografia

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas A Ence convida para a apresentação da monografia final do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território intitulada: “Pesca Artesanal em Jurujuba, Niterói, RJ: Rupturas e Permanências”.

Aluna: Jacqueline Santos Xavier Marinho
Data: 16 de março 2017 – quinta-feira
Horário: 15h00m
Local: Ence - Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo: A enseada de Jurujuba, localizada na porção leste da baía de Guanabara, sofre bastante influência de correntes oceânicas, mantendo ainda viva a cultura da pesca no bairro de Jurujuba, situação diversa ao que acontece em muitas comunidades dentro da baía, bastante impactada pela proximidade com a metrópole. Mesmo se mantendo a cultura pesqueira do bairro, houve impactos no que se trata do aspecto social das comunidades pesqueiras no bairro com a implantação de fábricas de enlatamento de sardinha, que aumentou o número de moradores – com a oferta de empregos – e causou um descaso ambiental na enseada com o lançamento do esgoto in natura do processamento de pescados durante pouco menos de vinte anos. Isso inviabilizou a pesca artesanal, provocando a entrada de tecnologias e embarcações com maiores capacidades no conhecimento dos pescadores, transformando o processo de trabalho na atividade. Isso causou uma ruptura não só no ofício, com a desapropriação dos saberes artesanais de pesca, onde o pescador é apenas mais uma ferramenta na produção de trabalho, mas também nas gerações posteriores que, não vendo a atividade como um meio de trabalho – configuração claramente causada pela desvalorização do ofício pelo sistema capitalista – não se interessa em aprender o ofício e se desapropriam também da identidade local. Para a realização do procedimento técnico dessa pesquisa, foram feitas entrevistas abertas, sem roteiro definido, para a coleta de narrativas dos pescadores e moradores da comunidade pesqueira de Jurujuba com fins de relato biográfico. A partir dessas narrativas foi criado um direcionamento na pesquisa a partir de seus olhares. As informações similares foram referentes às condições de trabalho, cotidiano da profissão e ruptura geracional. Para teorizar a desapropriação de saberes, serviu de base literaturas de Harvey (2010) e Diegues (1983) que refletissem sobre o processo histórico do projeto neoliberal de proletarização da sociedade e da precarização da atividade pesqueira em Jurujuba, ao qual foi beneficiado pelo trabalho realizado por Duarte (1999). Com as conceituações estabelecidas foi sugerido um exercício de diálogo de conhecimentos através da Ecologia dos Saberes (Santos, 2007) por meio da Pesquisa-ação (Thiollent, 2008). Para apresentação da pesquisa foi realizado uma adaptação à luz da metodologia de Cruz (2010), com métodos de interpretação, investigação e apresentação onde, neste último, foram divididos por capítulos: o primeiro trata sobre os regimes de acumulação do capital, proletarização da força de trabalho e precarização da atividade pesqueira; o segundo capítulo mostra a percepção dos pescadores e moradores que tem relação com a atividade pesqueira e o terceiro relata a proposta de diálogo de saberes pela Ecologia dos Saberes através da Pesquisa-ação, demonstrando com a atividade praticada, a real possibilidade de um desenvolvimento autônomo pela comunidade, através da transmissão da própria cultura pelos próprios atores.

Banca examinadora:
Dra. Letícia de Carvalho Giannella (IBGE/Ence/CPG) - Orientadora
Dra. Maria Salet Ferreira Novellino (IBGE/Ence/CPG) - Coorientadora
Dr. Fabio Giusti Azevedo de Britto (IBGE/Ence/CPG)
Dra. Yana dos Santos Moysés (Celso Lisboa)

Gerência do Lato Sensu

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro