logotipo ence

 

Seminario
PTEP
Seloge.
processo_seletivo.
SAS
Horario
Ence 60 anos
1/7 
start stop bwd fwd

 isi2017
 
 
 Vesamp

Defesa de Dissertação de José Jaime da Silva

ESCOLA NACIONAL DE CIÊNCIAS ESTATÍSTICAS
Pós-Graduação em População, Território e Estatísticas Públicas

Defesa de Dissertação

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a defesa da Dissertação de Mestrado intitulada: “A pobreza multidimensional no contexto da crise brasileira: Uma análise entre 2004 e 2015”.

Aluno: José Jaime da Silva
Orientador: Miguel Antonio Pinho Bruno
Coorientadora: Denise Britz do Nascimento Silva

Data: 7 de março de 2017 – Terça-Feira
Horário: 14h00m
Local: Ence - Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo da Dissertação: O objetivo desta dissertação foi construir um Índice de Pobreza Multidimensional (IPM) a partir de microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE e apresentar uma análise da sua variação entre os anos de 2004 e 2015. A importância de promover avanços em estudos sobre a pobreza no Brasil, bem como a necessidade de buscar determinantes da pobreza aguda motivaram este trabalho. O IPM aqui proposto foi adaptado utilizando como base o IPM desenvolvido por Alkire e Santos (2013) para países emergentes. A partir da contextualização histórica da pobreza no Brasil, os resultados obtidos corroboram que houve uma redução da incidência da pobreza multidimensional em todo o país. No entanto, apesar da redução do contingente de pessoas pobres na população brasileira, foi possível observar um aumento do número de pessoas em condições de vulnerabilidade no que se refere à pobreza multidimensional, mostrando assim que há um movimento gradual de melhora das condições de vida da população. A análise regional exibiu redução da incidência da pobreza em todas as regiões, em especial as regiões Norte e Nordeste apresentam as maiores proporções de pobres. Nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, a maior contribuição para o IPM foi da dimensão padrão de vida. Tal resultado pode ser devido à menor taxa de urbanização destas regiões. Na Região Sudeste, a maior contribuição para o IPM fica por conta da dimensão educação. Vale destacar que o IPM aparenta ser mais sensível a mudanças macroeconômicas, como a crises e a mudanças no salário real da população. Quanto ao recorte de gênero, os resultados apontam para um aumento do número de domicílios pobres chefiados por mulheres. Em comparação com outros indicadores, é possível observar que a incidência da pobreza medida pelo IPM atinge patamares mais altos do que os demais indicadores no que se refere à estimativa da  percentagem da população em condição de pobreza.

Banca examinadora:
Dr. Miguel Antonio Pinho Bruno (Ence/IBGE) - Orientador
Dra. Denise Britz do Nascimento Silva (Ence/IBGE) - Coorientadora
Dr. José Eustáquio Diniz Alves (Ence/IBGE)
Dr. João Luiz Maurity Saboia (UFRJ)

Coordenação de Pós-Graduação
CÉSAR MARQUES

 

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro