logotipo ence

 

Seloge.
Pesquisa com Egressos
Seminario.
processo_seletivo.
SAS
Horario
1/6 
start stop bwd fwd

 
 
 Coral Dez 19
 

Defesa de Dissertação: Educação Escolar Indígena: A alfabetização entre os índios Bororo

Aluno(a): Eilson Castro Soares de Oliveira

Resumo da Dissertação

Os indígenas Bororo se encontram distribuídos no contexto de seis Terras Indígenas em Mato Grosso. Desde o inicio do processo de contato, a sociedade envolvente buscou integrá-los como trabalhadores nacionais. Para isto, utilizou diversas estratégias, dentre as quais é destacada a educação escolar. Porém, passados mais de um século da abertura de escolas, o grupo conseguiu sua sobrevivência física e cultural, mantendo sua identidade étnica, enquanto uma totalidade que possui normas e valores próprios. Para isso, tiveram que se adaptar a diversas mudanças, dentre as quais, há o destaque para a entrada da escola e da alfabetização no cotidiano da aldeia. Para delimitar essa situação, foram discutidas as fontes de informação: o Censo Demográfico de 2010, o levantamento de dados da Coordenação Regional de Cuiabá da FUNAI e o Censo Escolar do INEP. Através destas, foi delimitada a expansão da educação escolar indígena, principalmente nas últimas décadas, bem como a queda na Taxa de Analfabetismo, nos grupos de idade mais jovens, dos diversos povos no Brasil. Para compreender essa situação foi necessário o entendimento dos aspectos sociais da educação e a política educacional em relação aos indígenas, que possui como foco a população residente em Terras Indígenas. Como resultado, pode ser verificado que, os indígenas Bororo possuem Taxas de Analfabetismo semelhantes aos da Sociedade Nacional, sendo bem inferior a da população indígena residente no Brasil. Internamente ao grupo, em algumas Terras Indígenas o analfabetismo é muito baixo, principalmente em Perigara, Jarudore, Merure e Sangradouro, estas duas últimas com atuação direta dos Missionários Salesianos. Portanto, para contribuir com o entendimento da presença do analfabetismo entre os indígenas, é importante a verificação da diversidade étnica, pois esta Taxa não se comporta de modo único, variando de acordo com as especificidades do histórico de contato, bem como da relação com a educação escolar.

Banca examinadora:

Dra. Moema De Poli Teixeira (ENCE/IBGE) – Orientadora

Dr. Cesar Ajara (ENCE/IBGE)

Dra. Maria Lúcia Rodrigues Muller (UFMT)

Dia: 27 de setembro de 2013 – Sexta-feira

Horário: 16:00 horas

Local: ENCE - Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Santa Teresa

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro