logotipo ence

 

Seloge.
Pesquisa com Egressos
Seminario.
processo_seletivo.
SAS
Horario
1/6 
start stop bwd fwd

 
 
 Cartaz20AnosPPG Ence
 

Defesa de Dissertação de Hugo Homem Macedo

 

ESCOLA NACIONAL DE CIÊNCIAS ESTATÍSTICAS

Pós-Graduação em População, Território e Estatísticas Públicas

Defesa de Dissertação

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a defesa da Dissertação de Mestrado intitulada: “Acesso a creches e Políticas Públicas: uma avaliação das tendências de acesso e diagnóstico em 2015”.

Aluno: Hugo Homem Macedo
Data: 23 de agosto de 2019 – Sexta-Feira
Horário: 10h00m
Local: Ence – Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo da Dissertação: A história da experiência brasileira com as creches pode ser analisada dividindo o século XX em três terços. No primeiro, as creches e escolas maternais estão ligadas às atividades operárias em centros urbanos; a saúde das crianças era questão de preocupação dos sanitaristas, que estavam temerosos em relação às condições de vida dessa camada social, além de sua capacidade de preservação e reprodução de mão de obra, uma vez que suas moradias se encontravam, no geral, em condições insalubres. Durante o segundo terço, as creches fora da indústria estavam predominantemente sob a responsabilidade de entidades filantrópicas laicas e religiosas (principalmente a segunda), com um caráter assistencial-custodial. O quadro tem uma transformação a partir da década de 1970, com expansão de creches e berçários mantidos por entidades privadas, que tinham como clientes as classes média e alta, e que defenderiam a orientação da creche para os aspectos cognitivos, emocionais e sociais da criança. A consolidação da transição das creches para o braço educacional do estado se consolida ao final do século, com a inserção da garantia do direito ao atendimento em creches e pré-escolas para crianças de 0 a 6 anos. Desde então, é crescente a oferta de instituições de educação infantil, bem como do número de crianças de 0 a 3 anos que as frequenta. Por meio dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) entre os anos de 2001 e 2015, constata-se que o país se encontra cada vez mais próximo de cumprir a meta de 50% das crianças de até 3 anos frequentando creche ou pré-escola; porém, ao decompor essa frequência por estratos socioeconômicos e regionais, chama a atenção a desigualdade crescente. Dados do suplemento “Aspectos dos cuidados das crianças de menos de 4 anos de idade” nos permitem uma maior investigação do perfil dessas crianças: ainda que os domicílios sejam de responsabilidade dos homens, quatro em cada cinco crianças encontram-se sob responsabilidade primária de uma mulher, e aproximadamente 85% das que não frequentam uma instituição de ensino estão fora de creche ou pré-escola por opção do responsável.

Banca examinadora:
Dr. Paulo de Martino Jannuzzi (Ence/IBGE) – Orientador
Dra. Maria Salet Ferreira Novellino (Ence/IBGE)
Dr. Glauco da Silva Aguiar (Cesgranrio)

Coordenação de Pós-Graduação
CÉSAR MARQUES

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro