logotipo ence

 

Seloge.
Pesquisa com Egressos
Seminario.
processo_seletivo.
SAS
Horario
1/6 
start stop bwd fwd

 
 
 Cartaz20AnosPPG Ence
 

Defesa de Dissertação de João Augusto Muniz Videira

 

ESCOLA NACIONAL DE CIÊNCIAS ESTATÍSTICAS

Pós-Graduação em População, Território e Estatísticas Públicas

Defesa de Dissertação

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a defesa da Dissertação de Mestrado intitulada: “Análise socioeconômica das unidades de conservação nos Municípios do Estado do Rio de Janeiro”.

Aluno: João Augusto Muniz Videira
Data: 25 de janeiro de 2019 – Sexta-Feira
Horário: 10h00m
Local: Ence – Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo da Dissertação: As Unidades de Conservação (UC) se consolidaram após as implementações do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços Ecológicos (ICMS Ecológico), transformando-se, ao menos legalmente, em potenciais instrumentos de preservação ou conservação do meio ambiente e desenvolvimento local, além de constituírem instrumentos de organização do território. As diversas categorias de Unidades de Conservação possibilitam diferentes arranjos de organização do espaço, visando objetivos ambientais e, também, metas socioeconômicas. No entanto, as Unidades de Conservação não têm recebido o devido apoio, sofrendo de problemas como a falta de recursos orçamentários, a má regularização fundiária e a falta de planejamento, o que as torna suscetíveis a pressões externas de diferentes tipos. Conhecer os fatores externos locais que influenciam as UC constitui uma etapa relevante para o entendimento de como estas últimas relacionam-se com diversos aspectos da sociedade e para o planejamento de ações eficientes. Aceitando as considerações anteriores, o objetivo da presente dissertação consiste na análise da relação entre economia e meio ambiente por meio da verificação de quais e como determinados fatores socioeconômicos impactam no processo de gestão das Unidades de Conservação do estado do Rio de Janeiro, criadas no século XXI. Para tanto, realiza-se: 1) um levantamento histórico das UCs; 2) uma revisão de parte da legislação relativa às UCs; e 3) a modelagem estatística generalizada, tendo como variável resposta o Grau de Conservação. Esta variável, denominada de Índice de Áreas Protegidas (*IAP), é um componente do Resultado de Avaliação de Área Protegida (RAAP). O modelo estatístico permitiu encontrar relações significativas com: 1) o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (2018); 2) a variável relativa às regiões oficiais do estado do Rio; 3) a quantidade de Rebanho no município; e 4) com outro componente do RAAP, o Grau de Implementação. Isto demonstra a importância da gestão nas UC.

 

Banca examinadora:
Dr. Gustavo da Silva Ferreira (Ence/IBGE) – Orientador
Dra. Julia Celia Mercedes Strauch (Ence/IBGE) – Coorientadora
Dra. Alinne de Carvalho Veiga (Ence/IBGE)
Dr. Carlos Eduardo Frickmann Young (UFRJ)

Coordenação de Pós-Graduação
CÉSAR MARQUES

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro