logotipo ence

 

Pesquisa com Egressos
Seminario.
Seloge.
processo_seletivo.
SAS
Horario
1/6 
start stop bwd fwd

 
 
 Cartaz20AnosPPG Ence
 PROGRAMACAOsemic

Defesa de Monografia de Breno Fernandes Gomes

 

Escola Nacional de Ciências Estatísticas

Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território

Apresentação de Monografia

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a apresentação da monografia final do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território intitulada: “Ocupação da Orla da Região Oceânica de Niterói-RJ”.

Aluno: Breno Fernandes Gomes
Data: 19 de dezembro de 2018 – Quarta-feira
Horário: 15h00m
Local: Ence - Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo: Na década de 1970, a população da Região Oceânica de Niterói era de apenas 7.374 pessoas. Segundo último levantamento do IBGE (2010), a população atingiu a marca de 68.987 habitantes. Devido ao grande potencial para o desenvolvimento de atividades econômicas como o turismo, a pesca, a construção civil, a construção da ponte Rio-Niterói nos anos 70, a abertura de novas estradas dos municípios vizinhos e recentemente a conclusão do túnel Charitas/Cafubá, esta área sofre historicamente um processo de ocupação desordenada, fato que acarretou uma série de perturbações na paisagem local, promovendo modificações na dinâmica ecológica local, gerando a descaracterização dos ecossistemas associados e acarretando prejuízos ambientais, sociais e econômicos e ainda alterando o modo de vida tradicional local. A transformação da paisagem natural em urbana proporciona a base para a manutenção do sistema econômico, gerando, em contrapartida, impactos que precisam ser conhecidos e estudados. Estas áreas ocupadas por vegetação são mais restritas e, na busca pelo desenvolvimento, a incessante expansão imobiliária é uma ameaça constante a fauna e flora urbana. O uso intensivo do território da Região Oceânica de Niterói tem inclusive motivado conflitos entre esferas do poder público, ambientalistas, organizações da sociedade civil e empreiteiras. Medidas que busquem frear este fenômeno são necessárias. Dentre tais medidas, a criação de unidades de conservação (UC), o Estatuto da Cidade que estabelece o Plano Diretor de Niterói, o Projeto Orla, o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro, são essenciais para o ordenamento e controle do território. A ausência de políticas públicas, a omissão e a falta de investimentos como saneamento básico, planos urbanísticos, planejamentos e organização territorial provocaram vários problemas para a região. Possui sérios problemas como trânsito, violência, alagamentos, despejo irregular de esgoto, enchentes, erosão costeira, desequilíbrio ecológico. Estudos e análises ambientais têm contado, cada vez mais, com geotecnologias que são imprescindíveis para projetos de gestão ambiental. Buscou-se fazer a análise da evolução do uso e cobertura do solo da Região Oceânica de Niterói ao longo dos anos através de imagens de satélite em diferentes épocas a fim de comparar e analisar essas transformações. Por essas razões, necessita-se de estudos relacionados à expansão urbana na orla da Região Oceânica de Niterói, principalmente no que concerne às áreas marginais das lagunas de Itaipu e de Piratininga, para que assim, possa ser elaborado um planejamento para sua conservação e qualidade de vida para a população.

Banca examinadora:
Dra. Rosangela Garrido Machado Botelho (IBGE/DGC) – Orientadora
Dra. Kátia Regina Góes Souza (IBGE/DGC)
Dra. Christianne Arraes Maroun (PUC-Rio)

 

Gerência do Lato Sensu

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro