logotipo ence

 

Tardes Culturais.
v_SEMIC.
Seloge.
Processo Seletivo 2022.
Processo Seletivo 2022.
Livro 20 anos PPG
Núcleo ENCE Covid-19
Agenda de Eventos Externos
SAS
1/9 
start stop bwd fwd

 
 
 
atividades
 
 
LogoHub
 
 
ico rbe.fw
 
 

Defesa de Monografia da Especialização de Bárbara Marques Sales

Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território

Apresentação de Monografia

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a apresentação da monografia final do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Análise Ambiental e Gestão do Território intitulada:Metropolização do espaço: uma análise da atuação do setor imobiliário e da legislação urbana no processo de expansão do vetor sul da RMBH.

 

Aluna: Bárbara Marques Sales

Data: 27 de Outubro de 2021 – Quarta-feira

Horário: 10h00m

Resumo: As metrópoles da América Latina veem se conformando a partir de uma série detransformações socioespaciais, que revelam a complexa trama que os processos de urbanização compõem. O Brasil passou pela transição urbana em meados da década de1960, e desde então seu território passou por processos contínuos de mudanças espaciais,sociais e estruturais, aliadas a diferentes lógicas espaciais de urbanização e metropolização, que trazem implicações para o planejamento urbano, regional e rural. Dentre os agentes que atuam nesse processo, está o setor imobiliário. Partindo do pressuposto de que muitas propostas de grandes intervenções urbanas estão atreladas a interesses do setor do mercado imobiliário, e que o setor público atua referendando-os, este trabalho, propõe-se a analisar a atuação do setor imobiliário e sua influência no processo de metropolização e nas dinâmicas da população, no Eixo de expansão Sul da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Como objetivos específicos, tem-se: (i) descrever os processos de produção do espaço e regulação urbana da RMBH, nas três últimas décadas; (ii) identificar os principais empreendimentos imobiliários do Eixo-Sul da RMBH; e (iii) relacionar os processos de metropolização e o setor imobiliário à regulação urbana e possíveis impactos nos habitantes de Nova Lima. Os processos de expansão urbana e de atuação do setor imobiliário foram analisados a partir da literatura e dados secundários. Já a caracterização das alterações das dinâmicas espaciais e sociais, a partir de dados dos censos demográficos de 1991, 2000 e 2010 do IBGE, combinados ao mapeamento da evolução das áreas construídas da RMBH, de 1975 a 2014. O desenvolvimento urbano de Nova Lima foi, na primeira metade do século passado, ligado à atividade mineradora. A partir de 1960 inicia-se um novo tipo de parcelamento do solo, direcionados a condomínios fechados. Entre os primeiros condomínios e os lançados a partir dos anos 90, há uma mudança da natureza dos empreendimentos imobiliários residenciais e comerciais e do perfil dos seus moradores. Trata-se de uma expansão com várias contradições, uma vez que o processo é pautado em condomínios fechados, construídos em áreas remanescentes de vegetação, que carregam no seu bojo o discurso da sustentabilidade e apropriam-se da natureza como objeto de consumo, vendendo a qualidade de vida associada ao estilo metropolitano, para uma população de alta renda. Observa-se pelos dados que há claras diferenças, em termos de aspectos socais, entre os moradores da sede de Nova Lima e da área rural, em relação aos que moram ao longo da BR – 040 e MG – 030 (moradores dos condomínios). Além disso, a localização dos principais empreendimentos imobiliários coincide com as manchas de expansão áreas construídas, o que corrobora com a hipótese inicial de que o setor imobiliário foi um elemento fundamental que compõe o Vetor Sul de expansão da RMBH. Outro achado importante foi que as mineradoras têm buscado novas estratégias para alocação do capital excedente, e essas envolvem a produção imobiliária, frente, de um lado, à crise do capital produtivo, e de outro, às facilidades de obtenção de lucro com o investimento no setor imobiliário. A tendência expansão da mancha urbana, influenciada pelo processo de metropolização, e também por outros atores, como o poder público e o setor imobiliário, influencia as dinâmicas dessas áreas, bem como a interpretação de determinadas áreas como rural ou urbana. Essas evidências podem auxiliar a compreender algumas faces de processos de urbanização na atualidade.

Palavras-chave: metropolização, dinâmicas imobiliárias, produção do espaço urbano,

planejamento urbano, classificações rurais urbanas.

Banca examinadora:

Dra. Letícia de Carvalho Giannella (ENCE/IBGE) - Orientadora

Dr. César Augusto Marques da Silva (ENCE/IBGE)

Dra. Maria Monica Vieira Caetano O’Neill (DGC/IBGE)

Dr. Ramon Coelho Duarte (IFMG)

Gerência do Lato Sensu

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro