logotipo ence
 
 
 
atividades
 
 
ungp brazil hub logo md
 
 
ico rbe.fw
 
 

Organograma

organogramaence

Infraestrutura

A ENCE está sediada em prédio próprio, localizado à rua André Cavalcanti, 106, no Bairro Santa Teresa, Rio de Janeiro, com uma capacidade de 300 alunos por turno. (Ver mapa de localização)

 imagem entrada ence  imagem entrada ence2
Entrada ENCE Entrada ENCE

Além das salas de aula convencionais, a Escola dispõe de quatro laboratórios de microinformática, um laboratório de geoprocessamento e de salas para estudo em grupo.

imagem auditório imagem salas de aula com computadores
Auditório Salas de aula com computadores

A ENCE tem uma biblioteca com sistema de livre acesso a um acervo de aproximadamente oito mil títulos e diversos periódicos especializados em Estatística, Matemática, Informática e Economia. Além dos livros e textos das disciplinas ministradas, estão disponíveis para consulta e estudo: monografias, periódicos (nacionais e estrangeiros), manuais de programas computacionais e outras obras afins.

Biblioteca

Módulo I

Estabelecendo as bases do ensino de Estatística no País – 1951 a 1963

.../09/1951
Prof. Lourival Ubaldo Câmara é designado pelo Secretário-Geral do Conselho Nacional de Estatística do IBGE para estudar e propor as bases de execução do dispositivo do Decreto n° 24.609, de 6 de julho de 1934, que cria o Instituto Nacional de Estatística, núcleo inicial do IBGE, cujo artigo 2° estabelece a obrigatoriedade de que este promova e mantenha cursos especiais de Estatística.

.../11/1951
Lourival Câmara apresenta à Direção do IBGE o documento "Exame Crítico da Estatística" onde coloca resultados de estudos sobre a formação técnica do pessoal necessário à Entidade.

07/01/1952
Lourival Câmara é nomeado Secretário-Geral do CNE.

10/07/1952
Lourival Câmara submete à Assembléia Geral do IBGE plano de cursos a serem efetivados: nível elementar, médio e superior.

Resolução 518 da Assembléia Geral (A.G.) do Conselho Nacional de Estatística determina a criação, na Secretaria-Geral do mesmo Conselho, de cursos de Estatística a nível de formação e especialização, além de um curso isolado para a formação e aperfeiçoamento de Agentes Municipais de Estatística.


01/09/1952
Lourival Câmara é exonerado do Cargo de Secretário-Geral do Conselho Nacional de Estatística do IBGE.

18/12/1952
Em decorrência da Resolução n° 406 da Junta Executiva Central (J.E.C.), Florêncio Carlos de Abreu e Silva, Presidente do IBGE, designa Lourival Câmara para elaborar o regimento dos cursos definidos na Resolução n° 518 da A.G.

15/02/1953
Lourival Câmara submete à apreciação do Presidente do IBGE o esquema dos cursos de graduação, de aperfeiçoamento, de especialização e de cursos livres, destinados à formação de pessoal técnico do IBGE, de diferentes níveis culturais.

06/03/1953
A Junta Executiva Central do IBGE examina e aprova o esquema de cursos proposto por Lourival Câmara, transformando-o na Resolução n° 416 de 06/03/1953, que cria a Escola Brasileira de Estatística e aprova seu regimento. Lourival Ubaldo Câmara é designado 1° Diretor da Escola Brasileira de Estatística.

16/04/1953
Solenidade de instalação da Escola Brasileira de Estatística, pelo Presidente do IBGE, Desembargador Florêncio de Abreu, onde discursou o Professor Maurício Filchtiner, Secretário-Geral do Conselho Nacional de Estatística, onde destacou a importância da iniciativa para a formação de técnicos de nível superior em Estatística "(...) suficientemente formados na teoria do método científico e amadurecidos na prática dos levantamentos, da estimação, da previsão."

Deputado Celso Peçanha formula voto de louvor pela criação da Escola e solicita que a iniciativa fique registrada nos anais da Câmara dos Deputados.

23/04/1953
Início das aulas do 1° curso de formação universitária em Estatística. Para a primeira turma do curso de formação inscreveram-se 71 candidatos, sendo matriculados 49, após os exames vestibulares. Início das aulas do 1° curso livre constituindo a referida turma de 89 alunos, dos quais grande parte procedia dos Departamentos Estaduais e Inspetorias Regionais de Estatística.

19/12/1953
Solenidade de formatura da primeira turma do Curso intermediário, sob a direção do Desembargador Florêncio de Abreu, Presidente do IBGE, na qual se diplomaram 32 alunos. Discursaram o Prof. Moacir Malheiros Fernandes Silva, como paraninfo, e Jucineide Fernandes Carvalho, como oradora.

29/05/1954
Resolução n° 442, da Junta Executiva Central (JEC) do IBGE, transforma a Escola Brasileira de Estatística em Escola Nacional de Ciências Estatísticas ajustando-a ao instituído no Decreto n° 19.851 que trata da Lei Orgânica do Ensino Superior (LOES), bem como às legislações federais complementares vigentes à época.

11/07/1954
Adolfo Santone, Doutor em Ciências Econômicas, publica no Jornal LA TRIBUNA, de Rosário, Argentina, matéria sobre a ENCE, destacando a sua importância para formação de profissionais da Área de Estatística, tanto a nível nacional, quanto a nível das Américas, dado a existência dos cursos ministrados.


04/01/1955
A ENCE ministra Curso Intensivo de Estatística para Religiosos, por solicitação da Conferência dos Religiosos do Brasil. Posteriormente, duas religiosas diplomadas pelo Curso Intermediário da ENCE, prestaram serviços no Departamento de Estatística, no Vaticano.

29/03/1955
Solenidade de entrega de certificados aos religiosos que concluíram o 1° Curso de Estatística para Religiosos, no Colégio Santo Inácio, onde discursou o Núncio Apostólico Dom Armando Lombardi.

24/06/1955
Iniciada a III Conferência do Instituto Interamericano de Estatística – IASI e a XXIX Sessão do Instituto Internacional de estatística – ISI, realizada no Hotel Quintandinha, Petropólis – RJ.

...07/1955
Realização dos Seminários Estatísticos promovidos pela ENCE e sob os auspícios do Instituto Internacional de Estatística (ISI) e Instituto Interamericano de Estatística (IASI).

20/12/1955
Solenidade de Encerramento do Ano Letivo do Curso Intermediário de Estatística, tendo como paraninfo da turma o Prof. A. Tenório de Albuquerque, discursando pelos alunos brasileiros o capitão Denny Eiras Batista, e pelos estrangeiros o Prof. José Saul Rosa, de El Savador. Encerrou os trabalhos o Prof. Lourival Câmara.

.../.../1955
A Revista Brasileira de Estatística – RBE, v. 16, n° 62, transcreve artigo publicado na revista "Ciência e Investigación" que destaca a importância da ENCE como primeira Faculdade de Estatística na América Latina.

.../01/1956
A ENCE passa a funcionar, em prédio alugado, à rua Presidente Wilson, 210 - 2° andar, concentrando no mesmo espaço todos os cursos ministrados anteriormente no Conselho Nacional de Estatística e no Serviço Nacional de Recenseamento.

25/03/1956
Entrega dos Certificados aos religiosos concluintes do 2° Curso Intensivo de Estatísticas para Religiosos, ministrado na ENCE por solicitação da Conferência dos Religiosos do Brasil. Compareceram ao Evento, na Escola Nacional de Música, o Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, Sua Eminência Dom Jayme de Barros Câmara e Dom Martin Michler, DD. Presidente da Conferência dos Religiosos do Brasil.

16/11/1956
A Comissão de Legislação do Conselho Nacional de Educação emite o Parecer n° 468 aprovando, com algumas alterações, o Processo n° 90.881/56 elaborado pela Congregação da ENCE, que encaminhava Projeto de Lei sobre o Ensino de Ciências Estatísticas.

03/12/1956
O Conselho Nacional de educação aprova o Parecer n° 468.

.../.../1956
Passa a funcionar na ENCE, como es..... anexo, a Escola Técnica de Comércio com a finalidade de ministrar o Curso Técnico de Estatística criado pelo Decreto n° 6.141 de 28 de dezembro de 1943.

.../.../1956
A partir de entendimentos com o Ministério de Educação e Cultura a ENCE institui Curso Especial para os professores de Estatística integrados nas sessenta Escolas Técnicas de Comércio existentes no antigo Distrito Federal.

22/07/1957
Colação de Grau da 2ª turma do Curso Superior de Estatística.

05/05/1958
Portaria n° 303, do Diretor do Ensino Comercial do Ministério da Educação e Cultura, concede autorização para funcionamento condicional de Cursos Comerciais Básico e Técnico de estatística da Escola Técnica de Comércio Nacional de Ciências Estatísticas.

.../12/1958
Visita do Chefe do Departamento de Programas Estatísticas Internacionais do "Bureau Of Census", Sr. Caliert Dedrick, ao Núcleo de Planejamento Censitário.

.../12/1958
Colação de Grau da 1ª Turma do Curso Técnico em Estatística.

09/04/1959
Fundação do Grêmio Estudantil Lourival Câmara.

04/04/1960
Decreto n° 47.997, aprova o Regulamento da ENCE.

29/04/1960
Boletim de Serviço n° 408, de 29/04/1960, publica na parte III – Legislação Decreto 47.997 de 04/04/1960, bem como o Regulamento da ENCE.

31/07/1960
Lourival Ubaldo Câmara deixa a Direção da ENCE.

18/08/1960
Prof. Felipe dos Santos Reis, é empossado no Cargo de Diretor da ENCE pelo Presidente do IBGE, Prof. Jurandyr Pires Ferreira.

26/02/1961
Discurso do Prof. João Lyra Madeira, Paraninfo da Turma de Bacharéis em Ciências Estatísticas – 1960, por ocasião da Colação de Grau.

.../02/1961
Prof. Felipe dos Santos Reis, deixa a Direção da ENCE.

.../03/1961
Prof. Francisco de Paula Saldanha passa a responder como Diretor da ENCE.

08/08/1961
Assinado o Decreto n° 51.163, que revoga o Regulamento da ENCE e aprova o primeiro Regimento da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE.

26/09/1961
Prof. Francisco de Paula Saldanha, deixa a Direção da ENCE.

26/09/1961
Solenidade de posse dos Professores Chafi Haddad e Moacir Malheiros Fernandes Silva, como Diretor e Vice-Diretor da ENCE, presidida pelo Presidente do IBGE, Rafael Xavier. Discursou na ocasião o Prof. Antonio Garcia de Miranda Netto.

.../.../......
Parecer sobre a situação Jurídica da Escola Nacional de Ciências Estatísticas, documento apócrifo que trata das relações IBGE/ENCE/MEC.

Memória da ENCE - Apresentação

Organização:
Maria das Graças O. Nascimento
Icléia Thiesen M. Costa
Laurinda Rosa Maciel

Pesquisa Bibliográfica:
Tereza Filgueiras
Edna Maria de Sá Moraes

Pesquisa Arquivística:
Regina Célia Acioli Oliveira.

Sugestão/crítica:
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Módulo II

Navegar é preciso – 1964 a 1972

19/02/1964
Decreto n° 53.562, de 19/02/1964, define quadro pessoal ENCE

.../03/1964
Iniciada a construção da sede própria da ENCE à rua André Cavalcanti, 106 – Bairro de Fátima.

27/09/1964
Prof. Chafi Haddad deixa a Direção da ENCE.

28/09/1964
Prof. Antonio Garcia de Miranda Netto é empossado no cargo de Diretor da ENCE.

.../.../1964
Extinto o Curso Ginasial Comercial da Escola Técnica de Ciências Estatísticas.

15/07/1965
Assinada a Lei n° 4.739 que regulamenta a profissão de Estatístico.

14/10/1965
Câmara de Ensino Superior do Conselho Nacional de Educação aprova o Parecer n° 870/65, referente ao currículo dos Cursos de formação de Estatístico, usando como base a experiência da ENCE.

03/11/1965
Portaria n° 314 de 03/11/65, do Ministério da Educação e Cultura, estabelece o Currículo mínimo do Curso de Estatística, publicada no Diário Oficial da União em 03/11/65.

.../12/1965
Descritas as atividades da ENCE no documento "O IBGE em 1965 – Relatório de Atividades".

.../12/1966
Descritas as atividades da ENCE no documento "O IBGE em 1966 – Relatório de Atividades".

02/08/1967
Decreto n° 61.126 aprova Estatuto do IBGE, onde redefine o papel da ENCE.

.../08/1967
Prof. Antonio Garcia de Miranda Netto deixa a Direção da ENCE.

10/09/1967
Prof. Antonio Tanios Abibe é empossado no Cargo de Diretor da ENCE.

05/01/1968
Inaugurada a sede própria da ENCE à rua André Cavalcanti, 106 – Bairro de Fátima.

01/04/1968
Decreto n° 62.497, aprova o Regulamento para o exercício da profissão de Estatístico.

03/04/1968
Início do Curso Intensivo de Treinamento destinado ao aperfeiçoamento técnico de servidores da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

28/08/1968
Aprovada a Resolução n° 46 do Conselho Diretor (COD) do IBGE, que dispõe sobre a organização administrativa da ENCE.

04/09/1968
Aprovada resolução COD-50, que dispõe sobre estágio de alunos da ENCE no Instituto Brasileiro de Estatística.

.../.../1968
Ministrado Curso de Programação IBM – Sistema/360, a partir de convênio firmado com a IBM do Brasil, aberto a todos os alunos da ENCE e aos servidores do IBGE, mediante aprovação nos testes.

.../09/1968
Apresentação do documento "Formação e Aperfeiçoamento de Estatísticos" de Autoria do Diretor-Superintendente da Escola Nacional de Ciências Estatísticas, Antonio Tanios Abibe, à I Conferência Nacional de Estatística, ocorrida entre 20 e 30 de setembro.

03/03/1969
Aula inaugural do ano letivo, pronunciada pelo Sr. Presidente da Fundação IBGE, Professor Sebastião Aguiar Ayres.

30/04/1969
Aprovada a Resolução COD-128, que dispõe sobre estágios de alunos da ENCE no recém criado Centro de Processamento de Dados (CENPRO) do Instituto Brasileiro de Estatística (IBE), tendo em vista os excelentes resultados obtidos pelos primeiros estagiários da ENCE no IBGE, em decorrência da COD-50/68.

02/05/1969
Portaria n° 17, assinada pelos Diretores Superintendentes do IBE e da ENCE, que regulamenta o estágio de alunos da ENCE no CENPRO/IBGE.

01/07/1969
Início do 2° Curso Médio Intensivo de Estatística, agora com duração de 5 meses.

22/12/1969
Discurso do orador da turma de Bacharéis em Ciências Estatísticas de 1969, Wilson Rodrigues da Cruz por ocasião da solenidade de formatura da referida turma.

11/08/1971
Assinada a Lei n° 5.692, que fixa Novas Diretrizes e Bases para o Ensino de Primeiro e Segundo Graus.

18/12/1971
Discurso do Prof. João Lyra Madeira, Paraninfo da turma de Bacharéis em Ciências Estatísticas de 1971, por ocasião da solenidade de formatura da referida turma.

22/12/1972
Discurso do Prof. Augusto Cesar de Oliveira Morgado, Paraninfo da turma de Bacharéis em Ciências Estatísticas de 1972, por ocasião da solenidade de formatura da referida turma.

.../.../1972
Realizados cursos em nível de extensão e aperfeiçoamento dos seguintes assuntos: Cálculo das Probabilidades, Análise das Séries Temporais, Análise de Sistemas, Teoria de Informações e Análise Seqüencial.

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro