logotipo ence

20 anos

Comemoração dos 20 anos da pós-graduação População, Território e Estatísticas Públicas

Veja neste espaço as atividades programadas para a comemoração dos 20 anos de criação do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu da Ence.

Chamada de trabalhos - livro

Chamada para envio de depoimentos - vídeos e fotos

♦ Se ainda não participou, e é egresso do Programa, responda a pesquisa e atualize seus dados acessando aqui: pesquisa com egressos. O queistionário da pesquisa além de permitir traçar um perfil profissional dos egressos, será utilizado como base cadastral para o início de um grupo de ex-alunos (alumini) que será criado em breve.

 _________________________________________________________________________

Chamada de trabalhos

Livro -  Comemoração dos 20 anos da pós-graduação da Escola Nacional de Ciências Estatísticas: Caminhos e Perspectivas

Em 1998 foi iniciado o Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais da ENCE/IBGE. Naquele momento a dinâmica social e territorial do Brasil e do mundo já passava por amplas mudanças, que continuam em curso desafiando constantemente o campo de estudos. Assim, o contínuo desenvolvimento de perspectivas teóricas, metodológicas e analíticas que tratem da dinâmica demográfica, territorial e da produção de estatísticas públicas são de suma importância para o entendimento da sociedade contemporânea e para a melhoria das condições de vida da população.

De modo geral, na data de criação do programa, a transição demográfica no país estava em estágio avançado, com baixas taxas de natalidade e mortalidade, com a taxa de fecundidade total de 2,4 filhos por mulher, se aproximando do nível de reposição, e a janela de oportunidades demográfica estava em seu início. Territorialmente, embora desde o final da década de 1990 a população urbana já tivesse superado os 80%, essa apresentava uma dinâmica territorial que já complexificava as concepções clássicas da segregação socioespacial e com crescente diversificação na distribuição populacional e do desenvolvimento regional, com queda da importância relativa das grandes metrópoles. No contexto da produção de estatísticas públicas, a coleta de dados apresentava seus primeiros passos no caminho do uso de ferramentas digitais. Passados esses 20 anos, a taxa de fecundidade total no Brasil estimada é de 1,7 filhos por mulher, com perspectiva de continuar diminuindo; o aumento expressivo do gasto público e a institucionalização de políticas urbanas e regionais não foram capazes de reverter o desenvolvimento urbano excludente e precário, assim como as desigualdades regionais, que persistem. Quanto à produção de estatísticas públicas houve profundas mudanças na coleta, processamento e armazenamento de dados estruturados e as bases de dados se multiplicaram, mas a necessária revolução de dados ainda não se tornou uma realidade.  Soma-se a este contexto a produção de estatísticas não estruturadas provenientes do avanço tecnológico e digital, os chamados Big-Data, que trazem desafios metodológicos e também oportunidades, principalmente para o conhecimento de dinâmicas de difícil compreensão a partir das pesquisas existentes.

Nesse cenário o programa de pós-graduação da Ence/IBGE tem se desenvolvido, considerando que a compreensão dos fenômenos demográficos e territoriais não pode ser compartimentalizada nem prescindir de pesquisas sociais e estatísticas públicas que retratem fidedignamente e com qualidade tais questões. Em 2014 o programa foi reestruturado, para dar início ao curso de doutorado, momento em que passou a ser designado como pós-graduação em População, Território e Estatísticas Públicas, para retratar a integração dessas três dimensões.

Para marcar a data de 20 anos de existência, a Coordenação de Pós-Graduação está organizando uma publicação que contemplará tanto aspectos históricos do programa como de suas perspectivas e desafios futuros, considerando as principais questões atuais presentes nas análises sobre população, território e estatísticas públicas. Mas principalmente, incluirá trabalhos analíticos e metodológicos que se espera receber a partir desta chamada, com uma publicação pensada para fomentar as discussões feitas nas duas linhas de pesquisa do Programa: População, Território e Condições de Vida e Produção de Estatísticas Públicas.

Serão aceitos artigos relacionados às estas linhas de pesquisa descritas a seguir, sendo especialmente encorajados os trabalhos que realizem a interface entre as mesmas.

 

  1. 1. População, Território e Condições de Vida

Trabalhos que tenham como foco o estudo da dinâmica populacional e territorial e das condições de vida da população, englobando aspectos sociais, econômicos e ambientais. Inclui-se a utilização de indicadores e o emprego de métodos e modelos para análise da dinâmica populacional e territorial e das condições de vida, o monitoramento e a avaliação de políticas públicas. Explora as bases de dados existentes e realiza levantamentos de informações quantitativas e qualitativas, considerando os aspectos conceituais e metodológicos e respeitando os limites das fontes utilizadas.

 

  1. 2. Produção de Estatísticas Públicas

Trabalhos que busquem o estudo de questões ligadas ao planejamento e à condução de levantamentos como censos, pesquisas amostrais e registros administrativos usados para a produção de estatísticas públicas que retratem o estado e a dinâmica populacional e territorial e as condições de vida da população. Inclui o desenvolvimento, a análise e a avaliação de métodos e modelos que contribuam para o avanço da produção de estatísticas públicas, da construção de indicadores e de sistemas de indicadores.

 

Pré-requisito para submissão: Os artigos devem ter pelo menos um  docente ou discente que atua ou já atuou no Programa. Os trabalhos devem ser preferencialmente inéditos (para trabalhos publicados totalmente ou parcialmente em outros meios devem ser enviados com a aprovação prévia de republicação).

Prazo: A submissão deve ser realizada a partir da data de publicação desta chamada até o dia 31 de outubro de 2018. Todas as submissões passarão por um processo de avaliação duplo-cega e aprovação final do Comitê Editorial da publicação.

Os manuscritos devem ser enviados para os correios eletrônicos: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Dadas possíveis restrições de tamanho de mensagens eletrônicas, o envio de arquivos com tamanho superior a 5MB será ajustado mediante contato prévio.

A previsão é que a publicação seja lançada em março de 2019.

 

Formato:

1) O manuscrito deve ser digitado em Word (versão 6.0 ou superior), com espaço duplo, utilizando-se fonte de letra Arial 12 pt;

2) Tamanho máximo de 8.000 palavras;

3) Máximo de cinco elementos gráficos.

4) O manuscrito não pode conter a identificação de nenhum dos autores (inclusive retirar identificação das propriedades do documento). Deve ter título, resumo, texto e referências bibliográficas, além de incluir todos os elementos gráficos no corpo do texto. Adicionalmente, os elementos gráficos/tabelas/mapas/quadros/figuras devem ser enviados em arquivos complementares.

Elementos complementares: tabelas, gráficos, figuras, mapas e quadros devem ser apresentados no texto, no local aproximado que deverão aparecer na publicação final, com numeração consecutiva e independente, em algarismos arábicos, cada qual identificado na parte superior pelo termo Tabela, Quadro, Gráfico, Mapa ou Figura, seguido do seu número de ordem. As tabelas e quadros, de preferência, devem estar no formato de objeto e não como figuras no texto. A publicação não é colorida, assim, elementos em cores serão transformados em tons de cinza. Aconselha-se que os originais já venham em tons de cinza quando possível. Os arquivos dos elementos gráficos, em formato editável, devem ser enviados em arquivos separados e devidamente identificados.

Ao longo do artigo as referências devem aparecer com indicação do sobrenome do autor e data de publicação e para referências literais acrescentar o(s) número(s) da(s) página(s) transcrita(s). Havendo mais de um trabalho do mesmo autor no mesmo ano, utilizar a, b, c imediatamente após a data. Exemplo: (MORTARA, 1982a, p. 427).

Referências bibliográficas: os elementos essenciais são autor(es), título, subtítulo (se houver), edição, local, editora, data de publicação, páginas e volumes (se houver) (ABNT NBR 6023).

As informações sobre a submissão podem ser acessadas aqui.

Comitê editorial ENCE/IBGE

Angelita Alves de Carvalho

César Marques

Suzana Cavenaghi

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro